Alienígenas na Terra? O que Congresso dos EUA investigará sobre óvnis

Publicado em

Se a verdade está lá fora, o Congresso dos Estados Unidos quer saber.

A Câmara dos Deputados convocou uma audiência histórica sobre fenômenos aéreos não identificados (UAPs, na sigla em inglês), mais conhecidos como objetos voadores não identificados (óvnis), nesta quarta-feira (26/7), no reconhecimento mais sério de que os avistamentos misteriosos merecem atenção nos níveis mais altos do governo.

Os legisladores americanos “não estavam trazendo homenzinhos verdes ou discos voadores para a audiência… vamos apenas chegar aos fatos”, disse o republicano Tim Burchett no início da reunião.

No entanto, o testemunho às vezes se desviava para o desconhecido.

Ao longo de duas horas, três testemunhas relataram seus encontros com objetos que desafiavam a física e contaram sobre pilotos com medo de falar, material biológico recuperado de embarcações e supostas retaliações contra denunciantes.

Todos reconheceram que os fenômenos anômalos eram uma ameaça potencial à segurança nacional.

A audiência não chegou a qualquer conclusão mais séria – nem a uma confirmação de vida alienígena – mas o fato de que as testemunhas receberam uma grande atenção perante o Congresso foi notável por si só.

Parlamentares e testemunhas usaram o episódio para exigir “maior transparência” dos militares sobre os óvnis.

O comandante aposentado da Marinha dos EUA, David Fravor, mais uma vez relatou seu encontro com óvnis em 2004 que se moviam de uma maneira que confundia os aviadores, cujas imagens foram divulgadas em 2017 e verificadas publicamente pela Marinha dos EUA dois anos depois.

“A tecnologia que enfrentamos era muito superior a qualquer coisa que tínhamos, temos hoje ou pretendemos desenvolver nos próximos 10 anos”, disse Fravor.

David Grusch, um ex-oficial de inteligência da Força Aérea, deu a entender que funcionários do governo haviam escondido informações e punido denunciantes, mas afirmou que não poderia elaborar mais em público devido a leis de sigilo.

Humano ou não-humano?

Nancy Mace, uma republicana da Carolina do Sul, pediu a Grusch que explicasse o que ele sabia sobre corpos não terrestres.

Ela perguntou a ele se materiais “biológicos” foram recuperados de qualquer possível resquício de óvni que teria sido recuperado pelo governo.

Referindo-se a entrevistas anteriores à mídia, Grusch respondeu que “materiais biológicos vieram com algumas dessas recuperações”.

Eles eram humanos ou não humanos? perguntou Mace.

“Não-humano, e essa foi a avaliação de pessoas com conhecimento direto sobre o programa com quem conversei”, respondeu Grusch. Posteriormente, enquanto respondia a outras questões, ele confirmou que nunca tinha visto pessoalmente um corpo alienígena.

As testemunhas pediram um processo de denúncia oficial para militares ou membros do público relatarem avistamentos inexplicáveis.

“Precisamos de um sistema em que os pilotos possam relatar sem perder seus empregos”, disse Ryan Graves, diretor executivo da Americans for Safe Aerospace e ex-piloto de caça da Marinha americana, uma das testemunhas ouvidas nesta quarta.

O Congresso parecia ansioso para conceder esse pedido até o final da sessão.

“Os óvnis, sejam eles quais forem, podem representar uma séria ameaça para nossas aeronaves militares e civis, e isso deve ser entendido”, disse Robert Garcia, um democrata da Califórnia. “Devemos encorajar mais relatórios. Quanto mais entendermos, mais seguros estaremos.”

Enquanto os legisladores republicanos e democratas levaram os assuntos a sério, alguns expressaram ceticismo de que a atividade extraterrestre estava em andamento.

‘Incompetência alienígena’

Eric Burlison, um republicano do Missouri, tentou lançar dúvidas no conceito de que os pilotos viam objetos alienígenas.

Ele disse que achava difícil acreditar que seres que poderiam viajar bilhões de quilômetros para chegar até nós seriam “incompetentes” o suficiente para cair na Terra.

Ele perguntou se algum dos óvnis poderia realmente ser criado por empreiteiros militares ou pertencer a programas de agências secretas que outras entidades governamentais haviam ocultado.

A aceitação pública de Washington dos óvnis como uma questão política se moveu com a mesma velocidade surpreendente dos objetos misteriosos, indo de reuniões sombrias nos bastidores com um punhado de entusiastas a um painel televisionado completo que recebeu o mesmo questionamento sério que qualquer outro assunto de segurança nacional.

Em 2017, a questão veio à tona quando o The New York Times noticiou a existência de um programa secreto do Pentágono para investigar fenômenos aéreos não identificados.

O programa foi apoiado pelo ex-líder da maioria no Senado, Harry Reid, que representou o estado de Nevada – e, portanto, a Área 51.

New York Times, assim como uma organização chamada To The Stars Academia de Artes e Ciências, também publicaram três vídeos mostrando encontros inexplicáveis ​​com óvnis. Desde aquela época, os militares dos EUA gradualmente reconheceram esses encontros, mas se recusaram a especular sobre suas origens.

Investigar óvnis, agora conhecidos por muitos como UAPs, se tornou uma rara questão bipartidária no Congresso. Legisladores de ambos os partidos pediram investigações e transparência militar.

Em 2022, o Comitê de Inteligência da Câmara realizou uma audiência sobre o programa secreto do Pentágono. A Nasa fez uma audiência pública sobre o assunto em junho.

Os ex-presidentes Barack Obama, democrata, e Donald Trump, republicano, abordaram a questão em entrevistas públicas. O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, disse que tem a mente aberta sobre o tema.

“O que acreditamos é que existem fenômenos aéreos inexplicáveis ​​que foram citados e relatados por pilotos — Marinha e Força Aérea”, disse Kirby. “Não temos as respostas sobre o que são esses fenômenos.”

Em uma raridade para uma audiência do Congresso televisionada, quase todos os legisladores concentraram seus questionamentos no assunto em foco na quarta-feira.

“Muitos americanos estão profundamente interessados ​​nesta questão”, disse Jared Moskowitz, um democrata da Flórida. “E não deveria ser necessário o potencial de origem não-humana para nos unir.”

Foto:GETTY IMAGES

*g1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Assine Grátis!

spot_imgspot_img

Popular

Relacionandos
Artigos

Jogador que levou chibatada de torcedor do Al-Hilal pode ser suspenso e pagar multa

O atacante Abderrazak Hamdallah, do Al-Ittihad, levou uma chibatada de...

Igreja Nossa Senhora de Fátima é invadida; ladrão furta celular e dinheiro

MANAUS – O Santuário de Nossa Senhora de Fátima,...
%d blogueiros gostam disto: