Carnaval pode provocar alta de casos de Covid-19

Publicado em

O Carnaval deste ano ocorre com o coronavírus em situação mais controlada desde que a pandemia foi decretada, há quase três anos. Especialistas em saúde não descartam eventual alta do número de casos, mas dizem que o aumento de ocorrências graves e mortes é mais improvável do que em edições anteriores. Reforçam também alguns cuidados para os foliões, como atualizar o esquema vacinal e evitar contato com pessoas com sintomas gripais.

“Com certeza teremos mais casos (de Covid no Carnaval), mas não dá para ter certeza se teremos mais óbitos e mais pacientes internados em UTI (unidade de terapia intensiva)”, diz o infectologista Marcelo Otsuka, vice-presidente do departamento de infectologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo. Ele afirma que esse diagnóstico ocorre principalmente por causa do avanço da vacinação no país.

“A expectativa é de que a gente não tenha uma grande repercussão (na pandemia) em relação ao Carnaval”, diz a infectologista Raquel Stucchi, da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Ela relembra que um boletim recente da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) mostrou que a maioria dos estados continua com queda ou estabilização de casos de SRAG (síndrome respiratória aguda grave). Conforme o balanço, divulgado na semana passada, considerando as 27 unidades federativas, apenas Acre, Amazonas, Espírito Santo e Pernambuco apresentam crescimento na tendência de longo prazo. No período recente, a prevalência entre os casos com resultado positivo para vírus respiratórios foi de 1,3% para influenza A; 1,1% para influenza B; 24,8% para vírus sincicial respiratório (VSR); e 61,7% para Sars-CoV-2. A Covid-19 representa 91% dos óbitos, seguida pelo VSR, com 5%.

Segundo Raquel, eventos como o Carnaval costumam causar preocupação, mas há alguns fatores que podem frear quadros graves no momento atual. “Quase a totalidade das pessoas presentes nas festividades de Carnaval e em aglomerações deve ter tomado duas doses da vacina, no mínimo, e está na faixa etária de jovem adulto. São pessoas que normalmente não têm nenhuma comorbidade importante e para quem o risco de quadros graves é muito pequeno.”

Em boletim publicado na última semana, o Instituto Todos pela Saúde (ITpS) afirmou que tanto a taxa de positividade dos testes de Covid-19, que está em 15%, quanto a do vírus sincicial respiratório (18%) apresentaram leve tendência de alta no início deste mês. As análises foram feitas com base em 928 mil testes realizados pelos laboratórios parceiros Dasa, DB Molecular, HLAGyn e Sabin.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo./ R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Assine Grátis!

spot_imgspot_img

Popular

Relacionandos
Artigos

Mulher morre atropelada enquanto praticava esporte na rodovia AM-070

Uma mulher, de 40 anos, morreu após ser atropelada...

Polícia Militar embarca mais de 500 agentes para reforçar segurança em Parintins durante festival

Mais de 500 policiais militares embarcaram, na manhã desta...

Inscrições para concurso do Ministério da Pesca começam nesta segunda-feira

As inscrições para o concurso público do Ministério da Pesca e Aquicultura começam...
%d blogueiros gostam disto: