Covid-19: SES-AM e FVS-RCP reforçam orientações para vacinação de grávidas e puérperas

Publicado em

O Ministério da Saúde (MS) emitiu novas recomendações para a vacinação contra a Covid-19 de gestantes e puérperas. Nota técnica enviada aos estados e municípios na terça-feira (06/07) orientou a imunização deste grupo independentemente da existência de doenças pré-existentes e manteve a exigência de prescrição médica.

A enfermeira do Programa Nacional de Imunização (PNI) da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), Josy Dias, ressaltou a importância da imunização contra Covid-19 de todas as gestantes e puérperas a partir de 18 anos.

“É importante para as grávidas e puérperas essa vacinação porque nesse momento elas têm uma baixa imunidade e têm tido muitos casos de Covid-19 nessa população. É indicação do próprio Ministério da Saúde que elas possam buscar os postos de saúde para fazer a sua vacinação”, destacou.

A vacinação deverá ser realizada com imunizante sem o vetor viral em sua composição, conforme orientação do MS. Obedecendo também o intervalo de 15 dias entre a vacina contra a Covid e a da influenza. As gestantes vacinadas contra o novo coronavírus dentro desse prazo, já podem providenciar a imunização contra a influenza.

“O Ministério da Saúde indica a vacinação de grávidas e puérperas com as vacinas da CoronaVac ou Pfizer e preconiza não só para gestantes, mas para toda a população que tome outras vacinas, por exemplo da influenza, com a diferença de, pelo menos, 15 dias, entre a vacina da Covid e a vacina tomada naquele momento”, disse a enfermeira.

Outras recomendações 

A vacinação contra a Covid-19 poderá ser realizada em qualquer trimestre da gestão. Para aplicação da vacina deverá ser exigido prescrição médica.

“A vacinação das gestantes e puérperas deverá ser condicionada a uma avaliação individualizada, compartilhada entre a gestante e seu médico, do perfil de risco-benefício, com apresentação de prescrição médica”, diz trecho da nota técnica.

As gestantes que já tomaram a primeira dose da vacina AstraZeneca devem aguardar o término do puerpério, período de 45 dias após o parto, para a administração da segunda dose do mesmo imunizante, conforme orientação do MS.

“A gente reforça que a segunda dose deve ser feita com a AstraZeneca porque o benefício da vacina é maior do que o risco. O índice de letalidade no Brasil das grávidas é de 10%, enquanto na população em geral é em torno de 2%. A letalidade é muito alta. Gestantes e puérperas podem procurar os postos de vacinação contra a Covid nas suas cidades que estão aplicando o imunizante para este grupo prioritário”, explicou a chefe do Departamento de Atenção Básica e Ações Estratégicas (Dabe) da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), Viviana Almeida, acrescentado que a orientação do PNI é fazer a aplicação em grávidas e  puérperas apenas de doses da Pfizer e da CoronaVac.

O Ministério da Saúde reiterou, na quinta-feira (08/07), que não está autorizado no país a combinação de vacinas, intercambialidade, receber a primeira dose de uma vacina seguida da segunda dose de outra.

“Não tem estudo suficiente que respalde esse tipo de conduta. Se tomou a primeira dose de uma vacina, tem que tomar a segunda dose do mesmo fabricante”, enfatizou Almeida

Vacinômetro 

Dados parciais do PNI da FVS-RCP, apontam que 14.543 doses foram aplicadas em gestantes e puérperas no Amazonas até a manhã desta sexta-feira (09/07), sendo 13.539 de primeira dose e 1.004 de segunda dose. A informação está disponível no site da FVS-AM por meio do www.fvs.am.gov.br.

*Com informações da Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Assine Grátis!

spot_imgspot_img

Popular

Relacionandos
Artigos

LeBron ou Jordan? Jogadores da NBA escolhem maior de todos os tempos

Quem é o melhor de todos os tempos da...

Festa com nudez e ‘simulação de sexo’ em Campinas ameaça vereadora do PT e fustiga aliado de Tarcísio

Uma festa promovida por um movimento cultural de apoio...

Seis cachorros são resgatados dentro de caixa em bagageiro de ônibus

Seis cachorros foram resgatados dentro de uma caixa no...

Justiça acata pedido da defesa e adia julgamento sobre júri popular do Caso Bruno e Dom

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) determinou,...
%d blogueiros gostam disto: