Após operação Magüta, Prefeito de Tabatinga tem pedido de prisão negada.

Publicado em

O prefeito de tabatinga Saul Nunes(MDB) foi afastado por noventa dias das funções, após a operação Magüta realizada pela polícia federal na manhã desta terça feira 13/07. Além do prefeito seus servidores: Bismark Júnior Martins Sales, Maria de Lourdes Cordeiro, João Lúcio Galvão Gonçalves, Eliudes Pessoa do Nascimento, Marcela Lima Ténorio, Marlen De Souza Vieira, Lindomara Nunes Bemerguy também serão afastados por 90 dias.

O Ministério Público solicitou a prisão preventiva do prefeito e seus servidores, porém o pedido foi negado, cabendo apenas o afastamento dos cargos por 90 dias, sendo assim o prefeito Saul Nunes e seus servidores estão proibido de entrar nas dependências da Prefeitura Municipal de Tabatinga, de manter contato por qualquer meio de comunicação com os demais investigados ou servidores da prefeitura, e afastamento do cargo função da prefeitura por 90 dias.

A Câmara Municipal de Tabatinga já foi oficiada da decisão judicial, e o vice Plinio Cruz deve assumir a prefeitura imediatamente.

Operação MAGÜTA 

Segundo as investigações, o chefe do Poder Executivo Municipal de Tabatinga/AM, Secretários Municipais e funcionários do alto escalão realizaram licitações fraudulentas com um grupo de empresários locais, com o objetivo de simular a lisura na formalização do procedimento licitatório para construção de escolas e creches municipais.

Há indícios de que o Prefeito Municipal de Tabatinga em exercício escolhia as empresas vencedoras previamente à licitação e, após receber valores do FUNDEB, montava o procedimento licitatório para realização de obras municipais já inauguradas. Ao final, pagava os empresários envolvidos nas fraudes, os quais posteriormente se apropriavam dos valores repassados e devolviam parte do lucro.

Os indiciados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de fraude à licitação, corrupção passiva, corrupção ativa, peculato, pertencimento a organização criminosa e lavagem de dinheiro. Se condenados, poderão cumprir pena de até 44 anos de reclusão.

O nome da operação é uma alusão à maior comunidade de indígenas da região amazônica do Alto Solimões, diretamente prejudicada pelos atos criminosos apurados na operação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Assine Grátis!

spot_imgspot_img

Popular

Relacionandos
Artigos

Ex-campeão do UFC nocauteia no Karate Combat e desafia Lyoto

Luke Rockhold não sabia o que era uma vitória...

Jokic ofusca LeBron, e Nuggets batem Lakers em primeiro duelo dos playoffs

O Denver Nuggets largou à frente e garantiu a...

Max Verstappen vence GP da China de F1 pela primeira vez

Depois de levar a melhor na corrida sprint do...

Câmara dos EUA dá 1 ano para TikTok ser vendido ou rede será banida

SÃO PAULO – Não foi só a um robusto...
%d blogueiros gostam disto: