Conselho da ONU teme que conflito se espalhe, mas não chega a entendimento

Publicado em

A primeira reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para discutir o conflito entre Israel e Hamas realizada neste domingo (8) terminou sem uma declaração conjunta dos países. O encontro foi convocado e presidido pelo Brasil, representado pelo embaixador brasileiro na ONU, Sérgio Danese.

“Pela prática do Conselho essas consultas são fechadas e, portanto, nós temos o compromisso de fazê-las, mas não comentá-las depois”, disse o danese em entrevista à GloboNews. Segundo o presidente do Conselho de segurança, é possível que outras reuniões sejam feitas para debater o tema. Durante a reunião, o norueguês Tor Wennesland, coordenador da ONU para o processo de Paz no Oriente Médio, apresentou aos representantes dos governos um levantamento de como estava a situação em Israel e em Gaza.

“A reunião dá aos países uma visão mais clara, mais ampla da situação local, porque a autoridade que fez o briefing para nós está no terreno, é o coordenador especial das Nações Unidas, é um norueguês”, disse. Danese afirmou que o interesse do encontro é ouvir a posição dos países membros para “formar um quadro mais completo de como, inclusive, o Conselho poderá eventualmente atuar em outras ocasiões que ele se reúna para tratar do assunto”.

Entre as preocupações externadas pelos participantes na reunião, está a possibilidade de que o conflito se espalhe pela região no Oriente Médio, informou o colunista Jamil Chade, no portal UOL. Os governos da França e dos Emirados Árabes chegaram a propor que uma declaração conjunta fosse lida e aprovada pelos 15 membros. No entanto, o governo americano apontou que tinha resistências em determinados pontos da declaração. Os Emirados Árabes Unidos apoiaram a posição dos Estados Unidos.

“A tônica das intervenções foi no sentido de refletir sobre a necessidade de se voltar a um processo negociador o mais rapidamente possível”, ressaltou Danese. O embaixador dos EUA, Robert Wood, afirmou a jornalistas que muitos membros condenaram os ataques do Hamas e a invasão do território israelense, mas que “obviamente, não todos”. Ele ressaltou que existe a preocupação de que o conflito se espalhe.

Foto: TIMOTHY A. CLARY / AFP

*Gazeta do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Compartilhe

Assine Grátis!

spot_imgspot_img

Popular

Relacionandos
Artigos

Mais de 50 mortos por inundações no oeste do Afeganistão

Inundações repentinas no oeste do Afeganistão mataram pelo menos 50 pessoas nas...

Operações policiais matam 17 pessoas por dia no Brasil, mostra Mapa da Segurança Pública

Operações policiais realizadas no Brasil ao longo do ano passado...

Lista de prioridades para receber a restituição do IR 2024 muda após cheias no RS

O primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2024 começa...
%d blogueiros gostam disto: